22 de junho de 2017

TRADUÇÃO DA CARTA DE DEUS ESCRITA POR EINSTEIN

A palavra Deus é para mim nada mais do que a expressão e produto da fraqueza humana, a Bíblia é uma coleção de lendas honoráveis mas ainda assim primitivas que são, do mesmo modo, muito infantis. Nenhuma interpretação, não importa quão sutil seja, pode (para mim) mudar isso. Estas interpretações sutilizadas são altamente influenciadas de acordo com sua natureza e tem quase nada a ver com o texto original. Para mim a religião judaica, como todas as outras religiões, é uma encarnação das superstições mais infantis. E o povo judeu ao qual eu felizmente pertenço e com a mentalidade do qual eu tenho uma profunda afinidade não tem, para mim, qualquer qualidade diferente dos outros povos. De acordo com minha experiência, eles também não são melhores do que outros grupos humanos, embora sejam protegidos dos piores cânceres por falta de poder. De outra forma, eu não posso ver qualquer coisa "escolhida" a seu respeito.
No geral, eu acho doloroso que você clame uma posição privilegiada e tente defender esta ideia através de dois muros de orgulho, um externo como um homem e um interno como um judeu. Como um homem você demanda, de certa forma, uma dispensa da casualidade de outra forma aceita, e como um judeu o privilégio do monoteísmo. Mas uma casualidade limitada não é mais, de forma alguma, uma casualidade, como nosso maravilhoso Spinosa reconheceu incisivamente, provavelmente o primeiro a fazê-lo. E as interpretações anímicas das religiões da natureza não são, em princípio, anuladas pela monopolização. Com tais muros nós só podemos alcançar uma certa auto ilusão, mas nossos esforços morais não são melhorados por eles. Pelo contrário.
Agora que eu abertamente expus nossas diferenças em relação às convicções intelectuais, é ainda claro para mim que nós somos bem próximos no que se refere às coisas essenciais, ou seja, na nossa avaliação do comportamento humano. O que nos separa são somente proposições intelectuais e racionalizações na linguagem de Freud. Desta forma, eu acho que iriamos nos entender muito bem se falássemos de coisas concretas. Com agradecimentos amigáveis e os melhores desejos.
Seu, 
A. Einstein


20 de junho de 2017

Arrependimento - Suzette Rizzo

 
Dei a ele meus olhares apaixonados,
as mãos tremulas,
o coração disparado.
Dei a ele meus sonhos,
esperanças e os três tempos
presente, futuro, passado.
Dei a ele dias, dezenas de anos,
cada lágrima transformada em pranto,
a emoção dos suores,
meu amor encanto.
E ele? nada viu, nada sentiu,
preferiu outros temperos
outros espelhos,
outras propostas,
histórias mais satisfatórias.

Dou a ele meu arrependimento,
hoje tudo que sobra.
Suzette Rizzo









19 de junho de 2017

Dor de amar - Suzette Rizzo

O quarto é pequeno
e a dor é tão grande,
que preciso a sala 
para desafogar o peito 
atolado em lágrimas.

Mas sou tão diminuta debaixo do céu,
que por mais que grite loucamente
nenhum anjo me ouvirá.
Nem a estrela minha fada,
nenhum querubim, 
levará esta dor de amar.

Continuo a chorar...
Um dia, se Deus me acudir
meu peito secará.
Mas a dor deste amor,
sei não, se passará.
Suzette Rizzo

(Para Milton Moraes -falecido)




Parar de fumar - Suzette Rizzo



Não há gosto na boca
cheiro de cigarro na casa, 
nem cinzeiro na mesa do computador.
Não tem mais graça ouvir blues,
tomar vinho, escrever poemas... 
Nem graça mais tem viver
assim mais para o fim que pelo meio,
proibida do meu prazer.
Parece até que eu respirava melhor
e o cansaço era menor.
Parece que a inspiração 
acontecia entre a fumaça
das insones madrugadas.
Procuro o cigarro
para um verso apoteose 
e desencontro a suposta poesia... 
A inspiração espremeu-se 
e se foi pela estreita fresta.
da janela não mais aberta, 
a primeira vez em tantos anos
e invernos .
Parei de fumar, parei de viver...
Que inferno!
Começo a morrer.

Suzette Rizzo
                                                           

                                                                                                                 














18 de junho de 2017

Teoria - Suzette Rizzo


Existe um lugar p'ra se morar
quando o corpo não for casa...
quando o planeta não for lar...
quando a larva tiver asas...
quando a alma se libertar. 

Atravessada a dimensão, teremos corpo,
abrigo, jardins, orquidários,
mais bonitos , é claro !
Teremos luas, uma azul
e, as demais coloridas...
e as estrelas, grandes estrelas
de intenso brilho. 

Está no pensamento,
e não há nada que se pense,
não exista
no interior dos universos;
onde somos agasalhados, consolados,
assistidos uns aos outros
e quem nos cria , é o Verbo. 

Algo que nos ama, como uma mãe,
desejosa do nascimento de seu filho.
Uma Força que nos dá asas à imaginação,
deleite de sonhos, pensamentos
e sabedoria;
como figurinhas recortadas,
enfileiradas
até onde se queira. 

Existe um lugar cheio de poesia,
encantado e acolhedor...
nada recuado nem tão distante,
que os olhos verão  depois. 

E existiu, uma vontade primeira ,
de esparramar vidas
pelo espaço coronário...
E o Pai de tudo criou berçários,
para todas as espécies. 

Obrigada Pai,
por tanta poesia !

Suzette Rizzo
2004






16 de junho de 2017

Lucubração- Suzette Rizzo


Durmo acordada, ando exausta!
Nem sei que tipo de vigília é esta.
Também não sonho, não falo, nem ronco,
mas, minha cabeça é um turbilhão constante,
um Déjà Vu  realmente louco. 
Durmo assim, de lado, (simulo pra mim)
viro-me de cá pra lá, até que a noite chegue ao fim.
De repente, me levanto pra pentear o cabelo,
aproveito, tomo um café, é sempre assim...
Tenho medo de morrer descabelada,
juro , tenho medo!
Durmo acordada, ligada,
pelo menos não viajarei sem saber que morri...
Prefiro a lucidez, o sentir dor do faquir
que finge, só finge nada.
Suzette Rizzo





Desinformação - Suzette Rizzo


Se as pessoas descreem na vida eterna,
porque então, reverenciam seus entes,
fazem missas anuais,
se os mortos, creem elas,
inexistem para sempre!
Porque então, se pede ajuda ao anjo da guarda
e acredita-se tenha ele asas
(como se anjo fosse mágica)
se nenhum ser é desigual
nem sofre transformação,
depois que a morte abocanha
a mente e o coração.
Quanta incoerência!
Quanta fixação!
Ninguém pensa não?
NÃO!
Nem no corpo que apodrece,
nem na alma que adoece
tamanha desatenção.
Suzette Rizzo

13 de junho de 2017

(How Deep Is Your Love ?) Suzette Rizzo

O que tu sentes é um pardalzinho,
nenhum amor leonino creia.
O que tu sentes é mesmo um passarinho
mas nenhuma arara azul em sentimentos
corre das tuas veias.
O que tu sentes me pergunto,
o que seria?
Hum!
Talvez um coelhinho colecionador
de rápidos prazeres.

January 11, 2014   16:08:59






Antes - Suzette Rizzo


Este céu hoje tão breu,
sem estrela alguma,
já foi mais claro,
nosso barco,
mais meu.

E quando teu olhar
fugia para o alto,
o meu namorava
as meninas diminutas
cujo luar se apossava.

O amor é tão sofrido,
tão desprezado,
tão implícito
tão recolhido
no peito atado..

Mas o céu era mais lindo,
a ilusão mais acordada,
e o resto, era o resto
que poderia morrer
e de repente ressuscitar.

O céu está mais alto,
mais  silenciado
e antes ecoava canções...
antes eu esperava
sentia emoções.

















Febre - Suzette Rizzo


Trago o interior carcomido
por lembranças ferozes,
mas há também  um riso sarcástico,
instintivo, nos meus lábios
detonando meus algozes.
Sou um dom virando a noite,
não uma mulher que desdobra a vida
encontrando gente  acoite.
Então, chega de amores sonsos,
do peito zonzo,
da pobreza dessas balelas
construções banguelas,
onde arquiteturas se desmontam
nesta sina de feias ruelas.
Trago o interior carcomido
e na palma das minhas mãos
o destino transpirado,
escorrendo, escorrido!


Sunday, January 11, 2015 19:45:41








Insônia - Suzette Rizzo


São 03 e 12
e a lua faz pose no céu.
Exibe hoje brilho tamanho
e o tempo, percebo,
fecha as chuvas para ela,
sabe-se lá, até quando.
A cama quente me expulsa,
a perna pula,
dor na nuca
e meus tensos nervos
aguardam  um simples bocejo
um quase sono,
pra sonhar meu Orfeu,
novo encontro, mais beijos...
E sonho que adormeço
e sonho que relaxo,
naquele nosso começo.
São 03 e 37
e já mandei ver 5 xícaras
de café bem preto... 
É assim que a insônia faz seu preço.
Ingiro então nicotina, toxina,
enquanto espero venha a paz
que não tive nem no berço

Monday, January 12, 2015   03:35:20

“Orfeu, na mitologia grega, era poeta e médico.
Era o poeta mais talentoso que já viveu.
Quando tocava sua lira que seu pai lhe deu,
os pássaros paravam de voar para escutar
e os animais selvagens perdiam o medo.
As árvores se curvavam para pegar os sons no vento”.

Wikipedia


Roda da Vida - Suzette Rizzo


Tanto aprendo neste caminho multifacetado
que me leva ao Dharma!

Havia um demônio se interferindo
em minha Roda da Vida.

Um demônio refreador trancando meus dias,
virando-me a alma de cabeça pra baixo. 



Rodopiei mil vezes, mas me equilibrei.
Aprendi a perceber onde foi que errei.

                                                                                           

12 de junho de 2017

Fosforescências - Suzette Rizzo

Entre as linhas do meu poema fosco
escrito a contragosto da minha alma
que prefere as fantasias,
choro verdades...  
Coisas bem distantes dos amores prematuros,
levados num tempo de ventania.
Falo das mil angustias, da solidão maldita,
da astucia de alguns,
da falsa argúcia de outros,
do meu lado meio louco.
Entre as linhas do meu poema fosco,
falo da magia das fosforescências,
da vida hoje, falo pouco.


Sunday, January 11, 2015 15:29:55



9 de junho de 2017

Miasmas - Suzette Rizzo

Poeta se inspira com qualquer coisa.
Não sou diferente.
As luzes desabam e o poeta berra no papel,
a cabeça explode e o poeta escreve lamentos
e quando ama escreve os ais dos sentimentos.
Poeta se inspira com sais de banho,
cactos, fantasmas...
Poeta até procura sarna pra se coçar
ou se entrega a miasmas



August 28, 2013



Desistência - Suzette Rizzo


Venceu  a tempestade
afogando de vez a alma,
levada pela enxurrada,
rápido ao esgoto
do destino sem volta.
Paga alto preço esta energia
que não se dissolve
e, meu corpo desanimado,
deixa-se estacionado
sem vontade de ir pra lá
ou ser arrastado do lado de cá.
Meus cachorros se entristecem
assistindo meu sofrimento




e a lágrima escorre molhando a cruz
que ouve estas aflições.
Espero do céu respostas
que não me dizem sim
tão pouco não.
Não mais insisto por socorro
Desisto.