6 de abril de 2015

Versos de dor


Versos de dor
Suzette Rizzo

Destino barrento
loteado de excremento humano.

Estupidez de acoplamento que me fez.
E agora? Onde estão vocês?

Foi parido mais um poeta
para  escrever desamor





Ingrato destino que não afrouxa
o cordão... e se faz meu laçador.

Choro,  escondo-me no escuro
como elefante terminal

Ah! Cansei-me de amamentar
e alentar versos de dor

Monday, April 06, 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário