6 de abril de 2015

Fim de linha


Fim de linha
Suzette Rizzo

Da cozinha vem o cheiro da omelete
que ele gostava
e parece... 


ouço aquele cantarolar espantador 
dos  meus medos de tudo.

Depois,
procuro no sofá as impressões
tateando almofadas,
tentando sentir a quentura do corpo
agitador da minha insônia,
gerador dos meus conflitos.

Fantasio, fantasio...
Enlouquecida da fatalidade,
resistindo heroicamente
este meu tempo intranquilo.

Vou até a cozinha,
quebro dois ovos,
corto rodelas de cebola
bem fininhas,
coloco a frigideira no fogo
e me empanturro do odor
e da saudade do amor
que chegou ao fim da linha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário