20 de dezembro de 2013

SEQÜÊNCIA
Suzette Rizzo 
Falta instrumento musical
na orquestra dos meus sonhos...
No céu, menos uma estrela
com som de piston,
qualquer melodia é falhada,
sem ele,
meu anjo bom.   
Há uma lacuna na página
do jornal,
uma mesa vazia na Redação,
falta um poeta na antologia...
Onde andará a poesia
do sensível coração ?! 
 
Meus sonhos de estrada
atravessam túneis, avistam
campos
e percebo a vastidão do mundo...
Nele há menos um lírio
e uma árvore sem frutos.
 
Falta alguém no planeta,
alguém que ninguém mais lembra
mesmo que nasça uma estrela...
Mas, se a vida do corpo
volta ao pó,
meu Deus, será que ele é,
seqüência de girassóis?

Suzette Rizzo
A idade das sereias
Suzette Rizzo

Queria a idade das sereias,
todas e nenhuma.
E dos mares toda a espuma
que a luz do luar cintila.
Queria as ondas correndo as veias,
 leveza na cabeça
e nenhuma lembrança feia.

Mas, sou mulher da terra;
Sangue, preocupação e pernas
em plena corrida.
Sozinha como a sereia,
porém menos vida.

E  lá se vai a ilusão da eternidade
da matéria lisa.
Coisa que a solidão enruga, risca e pisa.

Ainda escrevo meus versos...
Mas logo, nem lenda serei neste universo,
nem sereia sempre viva!
Suzette Rizzo


Transparência
Suzette Rizzo

Percebes que não te escondo
em meus versos,
embora te ame timidamente
e  te procure incessante
neste revoar universos?

Sabes sim!
Que estás refletido em meus sonhos
e que remendas meus restos.

Nada mais importa!

Hoje, te sonharei além 
de um poema transcendente,
para cair em teus olhos
como estrela cadente!

Suzette Rizzo


September 7, 2013
Interioridade
Suzette Rizzo


Chega um dia na vida
que o amor a dois
se funde na enxurrada
e desce ladeira abaixo.
Ninguém o procuraria
na água de esgoto,
lá, com certeza estará morto.
Chega um dia
que café na cama, a dois,
fim de semana na praia, dizem,
é programa dos mais moços.
Na verdade, procuro agora,
outros sabores,
chega de querer outras gentes, 
novidades...
Chega um dia na vida,
se não houver surpresas
não há também continuidade.
Por isso, chega uma hora na vida
que o melhor da vida,

é a luz da interioridade
Um pouco de mim
Suzette Rizzo 

A minha verdade
não é a sua, nem daquele outro.
Ela coabita o poço do meu todo
juntamente as incertezas,
cruzamento com meu lado louco.
Dai nasce a minha lógica
e só nessa hora,
essa menina se parece
comigo e muito
e bem pouco com o surdos.

A minha verdade é pensada,
repensada, vasculhada
e tem por base a minha história,
encaixada ao principio de tudo.
Não é verdade simbólica, 
no entanto caótica,
talvez quântica,
mas por hora única;
Aprendi que residirei até o fim
nessa cosmologia encrencada
e ela em mim.